8 de março

As mulheres médicas exercem cada vez mais papéis de destaque e ascendem aos postos de liderança, em clínicas próprias, laboratórios, hospitais e demais instituições médicas. O Dia Internacional da Mulher, em 8 de março, comemora as conquistas das mulheres e chama a atenção para a busca de iguais oportunidades para mulheres e homens, em todos os setores, inclusive na Medicina. Na atual gestão do Cremesp, dos 40 conselheiros, 16 são mulheres, a maior presença já registrada na história do Conselho. E da diretoria composta por 13 integrantes, cinco são mulheres. A evolução da participação das mulheres na Medicina e no Cremesp é um exemplo do avanço da presença feminina no mercado de trabalho no País. 

Os números mostram que essa participação das mulheres na Medicina nunca foi tão alta e a tendência é que continue crescendo. De acordo com a Demografia Médica 2018, apesar de os homens ainda serem maioria no país, representando 54,4%, as mulheres já são maioria entre os médicos mais jovens, com 57,4% na faixa até 29 anos e 53,7%, na faixa de 30 a 34 anos. Além disso, os registros de mulheres também crescem a cada ano. Do total atual de 143.941 registros de médicos no Cremesp, 45,5% são de mulheres.

Em 1957, quando o cadastro no Cremesp se tornou obrigatório, registraram-se 1.265 homens e apenas 113 mulheres. Segundo dados da Demografia Médica no Estado de São Paulo, em 1980, entre os novos inscritos no Cremesp, as mulheres representavam apenas 31,41%.

Neste 8 de março, o Cremesp lembra das milhares de mulheres médicas, que se sacrificam pessoalmente, em sua atarefada rotina — muitas vezes com dupla ou tripla jornada — em prol da boa Medicina. E as parabeniza desejando uma contínua melhora nas condições profissionais e na valorização de todas as representantes da Medicina brasileira.

0
Seja o primeiro a comentar!
Escreva aqui seu comentário...