Prazo concedido pelo Cremego à SMS para sanar deficiências no Cais de Campinas vence hoje

Termina nesta quinta-feira, 12 de setembro, o prazo concedido pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Goiânia para sanar as deficiências constatadas na última fiscalização realizada pelo Conselho no Centro de Atenção Integral à Saúde (Cais) de Campinas. Em uma fiscalização completa feita em 11 de junho passado, o Cremego constatou problemas, como o déficit de médicos nas escalas de plantão, escassez de materiais, medicamentos e insumos para exames, permanência de pacientes por mais de 24 horas no setor de emergência, longa espera por atendimento médico, infiltrações, mofo e cupins em alguns ambientes e outros problemas que vêm comprometendo o bom funcionamento da unidade de saúde.

As deficiências também denunciadas pela imprensa e pelo Conselho Tutelar não foram novidade para o Cremego, que desde 2012 vem fiscalizando regularmente o Cais Campinas e cobrando providências das autoridades competentes. Após várias fiscalizações e notificações aos gestores da saúde e sem que medidas fossem adotadas para sanar os problemas na unidade que é uma referência em atendimento pediátrico na capital goiana, o Cremego aprovou, em agosto de 2018, a interdição ética total do exercício profissional no Cais. Mas, a medida foi suspensa por uma liminar da Justiça antes de entrar em vigor.

O Cais Campinas seguiu, então, funcionando em condições precárias, conforme constatado nesta última fiscalização feita em junho deste ano. Durante a vistoria que dá sequência ao processo de fiscalização em andamento desde 2012, o Cremego encontrou 20 pacientes a espera de atendimento, em média, há mais de duas horas. A vistoria ainda constatou problemas, como falta de materiais e medicamentos, falta de funcionários no laboratório e escala de plantão médico incompleta.Por decisão da diretoria do Cremego, o relatório desta última vistoria foi encaminhado ao Ministério Público do Estado de Goiás, ao juiz que emitiu a sentença suspendendo a interdição ética do Cais Campinas em 2018, ao prefeito Íris Rezende e à Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia com solicitação de providências para a correção das irregularidades citadas no relatório. O Cremego aguarda a resposta da SMS.

Leia mais: Liminar da Justiça suspende interdição do Cais Campinas pelo Cremego

(Texto aprovado pelo Presidente e 1º Secretário do Cremego 12/09/19)

0
Seja o primeiro a comentar!
Escreva aqui seu comentário...